Voltar
20/12/2019

TegUP, aceleradora da área de logística, coloca as necessidades dos clientes no centro do processo

No terceiro ciclo do programa da aceleração de startups na área de logística, realizado neste ano, a tegUP, braço de inovação da Tegma Gestão Logística criada em 2017, aprimorou o processo de seleção, colocando o cliente Tegma como foco central das soluções apresentadas pelas startups participantes. Com envolvimento ativo de alguns clientes, foram apresentados às pré-selecionadas desafios específicos, baseados em necessidades reais do segmento logístico. As “finalistas” tiveram noventa dias para realizar um piloto, com acompanhamento de profissionais da Tegma e representantes de clientes, que auxiliaram na aderência dos projetos às dores e características definidas no desafio. Esses sponsors avaliaram detalhadamente as ferramentas desenvolvidas e, em cinco das seis soluções apresentadas, recomendaram a ampliação dos testes (roll out).

No ciclo deste ano inscreveram-se 53 startups e, delas, 23 foram pré-selecionadas. Após essa pré-seleção, seis startups receberam os desafios para fazerem os testes pilotos por um período de 90 dias. Na última semana, quando aconteceu o demo day com a apresentação das soluções desenvolvidas e os resultados alcançados nos pilotos, foi possível observar que a alteração no processo proporcionou resultados positivos.

A Micromax teve como desafio reduzir avarias nos veículos transportados decorrentes de eventuais falhas na amarração das cintas. Por meio de um sistema de sensores instalados nos pneus desses veículos foi possível detectar qualquer oscilação na pressão das cintas e, imediatamente, avisar o motorista do caminhão ( carreta cegonha ).

O desafio para a Panorama.ID consistia em reduzir o tempo de inventário dos paletes no Centro de Distribuição. Com a utilização de drones foi possível obter uma economia de tempo da ordem de 80%.

Já a ClarIfy se dedicou a desenvolver um assistente de roteirização específico para navegação para veículos de transporte – com funcionalidades que não estão disponíveis nas ferramentas populares, como Waze. Para atender o desafio, foi criado um aplicativo mobile, que foi testado por alguns motoristas Tegma, ainda em MVP.

Outra pré-selecionada, a Byond, apresentou uma solução para superar a baixa agilidade e eficiência na inspeção de lacres rodoviários no recebimento de cargas químicas da Unilever Indaiatuba. A utilização de lacres com RFID – similares aos colocados nos sistemas de cobrança automática em pedágios – a leitura pode ser automatizada e realizada em tempo 95% inferior ao atual.

Para a Smart-Tech foi apresentado o desafio de aprimorar o processo de separação de pedidos B2C. A solução criada permitiu ampliar a eficiência do abastecimento dos equipamentos de Picking orientado por luzes (PTL), através de algoritmo e gestão à vista.

A XMultas teve a incumbência de criar uma solução para monitorar as multas por excesso de peso. A solução idealizada permitiu mapear a totalidade das multas recebidas e, em valores estimados, poderá ser alcançada uma economia de 17% nesse item, em função do cumprimento de prazos e simplificação do processo.

Os próximos passos deste ciclo incluem a formalização e setup dos rollouts, organização da governança entre tegUP e Tegma e avaliação do interesse por novos investimentos.

Notícias Relacionadas

Tegma 5.0, uma jornada de transformação...

A iniciativa da operadora logística que permitirá...
Read More

Tegma recebe crédito de R$ 20...

Recursos serão repassados por intermédio da Finame...
Read More